30 de Maio – Chapada Diamantina

Pegamos a estrada um pouco apreensivos devido a estórias que havíamos escutado sobre assaltos e problemas rumo oeste, mas viajamos durante o dia e não tivemos problema algum. Chegamos bem em Lençóis, o portão de entrada para Chapada Diamantina, e após nos instalarmos em um ótimo camping fomos passear pela cidade. No final do dia fomos ao topo do Morro do Pai Inácio curtir o pôr-do-sol e a vista maravilhosa de toda a chapada.

Infelizmente o Poço Encantado estava fechado e não pudemos visitá-lo, mas fomos ao Lago Azul que é tão impressionante quanto. Chegamos lá na hora certa, quando os raios de luz atravessam as pedras e batem na água formando uma cena incrível. Tivemos sorte também, pois logo em seguida chegou uma excursão de alunos para visitar o local. Porém, antes do agito, deu tempo para contemplar com tranqüilidade a beleza e serenidade desse lugar. No final, para refrescar, nada melhor que um banho gostoso na lagoa azulada e de água cristalina. Foi uma delícia!

Cogitamos “cortar caminho” fazendo a travessia pelo rio, economizando alguns quilômetros, mas após atravessá-lo a pé vimos que era completamente inviável e arriscado demais. Demos meia volta e seguimos pelo caminho “convencional” percorrendo alguns quilômetros a mais de estrada de chão.

Durante nosso percurso rodando o parque todo passamos por alguns vilarejos antes de chegarmos a Igatu, onde pernoitamos na praça ao lado do cemitério, um lugar bem tranqüilo. A cidade é pequena, com ruas estreitas e toda de pedras o que a faz ser muito aconchegante. Visitamos também a Galeria de Arte e Memória que nos surpreendeu pelos detalhes e atenção dos funcionários, fora a localização com linda paisagem ao seu redor.

Seguindo nosso roteiro passamos por Mucugê e o curioso Cemitério Bizantino. Já no Capão, nos instalamos em um camping bacana e nos preparamos para a caminhada ao topo da Cachoeira da Fumaça. Partimos cedo com mochila nas costas e muita água, pois a subida era íngreme e o calor de matar. Com algumas paradas estratégicas, chegamos bem ao topo e o vento na cara e o visual foram perfeitos!

Foi então que começaram as brincadeiras . . . umas mais ousadas que outras, mas todas bem divertidas. Lá no topo conhecemos a Anja, uma alemã que estava mochilando pela América do Sul. Conversamos bastante e acabamos jantando juntos na vila.

Infelizmente, estava na hora de partirmos deste paraíso ecológico e irmos conhecer a Serra da Capivara, mas no caminho de saída passamos novamente no Morro do Pai Inácio para curtir mais uma vez o visual e deixar o nosso até breve . . .

4 comments to 30 de Maio – Chapada Diamantina

  • Christopher Downey

    hey there CYDers! The picture are great! The story too…didn’t follow the bit where you say “aqui começaram as brincadeiras, nada de mais…” then you don1t tell us anything more about the brincadeiras 🙁 I’m still curious!
    Cheers! Happy Hunting… Be Prepared… Service…
    Love you both.
    Dad.

  • Paulo Rogerio

    Olá amigos:

    Não sei se estão lembrados de mim. Sou de Caruaru e vocês estiveram aquí bem próximo em Recife.

    A chapada Diamantina na Bahia realmente é linda! pena que só passei por lá uma vez.

    Com fé em deus hei de explorá-la igualmente vocês fizeram.

    Um abraço!

  • Masao Takaki

    Que “invejinha” (brincadera)…Parabéns a vcs por aproveitarem esta maravilhosa oportunidade..Boa viagem e muita curtição…ainda vou realizar este sonho…Abraços

  • Queridos amigos, estamos com saudades… já deu pra matar um pouco dela abraçando os pais e irmão da Grace por aqui, que surpresa boa!!!! Ficamos muito felizes mesmo em encontrá-los. Beijos pra vocês e continuem com uma ótima viagem, apreciando essas maravilhas da nossa terra!

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>